2

Sobre sementes e terras





Ontem escrevi sonhos,
plantei...cada semente em uma terra fértil
pelo menos foi isso que o vendedor me disse,
que cada semente ganharia uma grande terra,fértil e especial,única!


Mas ao longo dos dias,dos meses,dos anos...
Eu não entendia porque muitas delas não cresciam,
ou porque não davam frutos.
Não conseguia entender o que acontecia


Me deparei com dúvidas,com medo e com a falta do que fazer
as idéias surgiam,mas nenhuma delas dava resultado
e a sensação de errar tomou conta de mim
e durante muito tempo carreguei a certeza de que estava errando sem saber o porquê.


Até que, de repente,percebi que não era em mim,mas na terra
naquela terra que me iludiram,que me enganaram,me fizeram acreditar que era fértil.
Que com ela sairiam grandes frutos,grandes raízes e árvores maravilhosas.
Me fizeram acreditar que a terra era boa.


E embora ouvesse um esforço contínuo dentro de mim
somente arrancando semente por semente daquela terra eu conseguiria o que tanto sonhei
E foi assim,arrancado semente por semente,abrindo buracos com as mãos,fazendo um trabalho árduo,porém o mais sensato.
Foi assim,que encontrei novas terras e finalmente,fiz com que as sementes se tornassem grandes árvores,desse bons frutos e seguissem seus caminhos.


(Raquel Schuindt)

2 comentários:

JOSÉ LUCIANO Janguas disse...

MISSÃO CUMPRIDA
(ao velho sábio)


E por vontade de Deus,
a semente caiu ao chão.
Não havia pedras,
os pássaros se foram
e o solo era bom.

Manifestou-se também
o sopro divino.
E em forma de menino
a semente vingou.

Ergueu seus braços,
como se fossem galhos,
que se manifestaram em movimentos,
ao sabor dos ventos.

Resistiu às tempestades
frutificou,
soube escrever com verdades,
a história que deixou.
E manteve-se presente
pra cultivar as sementes
que de seus galhos a terra lançou.

Abrigou em sua sombra.
Suas folhas adubaram a terra,
resistiu às estranhas guerras,
as quais o mundo nos prepara.
Mas, até o vento em certos dias para...

Agora, em forma de vento, se vai.
Deixa pra trás, a saudade e os frutos de seu amor.
Se dirige a morada do pai,
pra depositar sua história,
nas mãos do Criador...



José Luciano Janguas







JOSE LUCIANO JANGUAS disse...

Olá Raquel. Você não me conhece. Sou poeta paranaense. Quero parabenizá-la pelo blog, eu já havia deixado comentário anterior. Te convido a conhecer meu blog janguas.blogspot.com.br, onde tenho parte de meus trabalhos. Sáude e paz, ambas gerando felicidades. Votos de José Luciano Janguas.

Postar um comentário

Monólogo faz bem!!

Monólogo faz bem!!
Não esconda suas palavras...
Back to Top